Salvaguarda e valorização dos arquivos de família. Aspectos legais, económicos e organizativos

Jornada de estudo e de debate

Resumo

O “Programa” compreendeu um leque diversificado de atividades, que procuraram aprofundar o conhecimento de alguns arquivos de família, em especial de famílias nobres de Antigo Regime (acervos ancorados em fortes estruturas linhagísticas, patrimoniais, jurisdicionais e políticas, que reuniram condições para resistir às vicissitudes do tempo): de que forma podem contribuir para um conhecimento de aspetos ignorados da História de Portugal; que cuidados patrimoniais envolvem; como se pode responder às dificuldades financeiras e organizacionais da sua manutenção e disponibilização; como devem ser organizados sob um prisma tecnicamente correto.

Depois de uma segunda sessão dedicada aos arquivos de família e à investigação histórica, a terceira incidiu sobre questões ligadas à salvaguarda e à valorização destes acervos, refletindo-se em particular nos aspetos legais, económicos e organizativos.

Mais informações

Data e local

27 de fevereiro de 2010, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Auditório 1,Torre B

Programa

10:00 – Abertura
Rui Santos (Vice-diretor para a investigação da FCSH)

10:30 – Enquadramento legal e organizativo | Presidência da sessão: Madalena Garcia (arquivista)

  • Abordagens públicas aos arquivos privados no contexto da arquivística portuguesa
    Pedro Peixoto (C.M. de Vila Real/ Arq. Municipal de Vila Real)
  • A protecção e valorização legal dos arquivos privados
    João Martins Claro (Mestre em Direito; advogado; docente universitário)
  • Les archives privées en France: le rôle d’une association indépendante
    Jacques Perot (Présidente da Association Française pour la Protection des archives privées)

12:30 – Debate

13:00 – Almoço

15:30 – Painel: Questões económicas envolvidas na salvaguarda do património arquivístico familiar | Moderador: Luís Vasconcelos e Sousa (Pro-Associação de Proprietários e amigos dos arquivos de família)

  • António Camões Gouveia (FCSH; Fundação Robinson)
  • João Vieira (IHRU, FCSH/UNL; consultor da FCG-arquivos)
  • José António Falcão (Diretor do DPHA Diocese de Beja)
  • Patrícia Salvação Barreto (jurista; especializada em Direito Nacional e Internacional do Património)
  • Ricardo Charters d’Azevedo (engenheiro, alto funcionário reformado da UE, com atividade na salvaguarda e publicação de documentos familiares)
Organização

Entidades Promotoras

  • Instituto de Estudos Medievais / Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – Universidade Nova de Lisboa (IEM)
  • Centro de História d’Aquém e d’Além-Mar / Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – Universidade Nova de Lisboa (CHAM)
  • Direção-Geral de Arquivos (DGARQ)
  • Pro-Associação de proprietários e amigos de arquivos de família

Comissão Organizadora

  • Maria de Lurdes Rosa
  • Luís Vasconcellos e Souza
  • Pedro Urbano

Secretariado

  • Bruno Silva (IEM)
Apoios
  • Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – Universidade Nova de Lisboa (FCSH-UNL)
  • Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)