Acções do Documento

Arqueologia

Área científica

Arqueologia

 

Palavras-chave

Investigação; Profissionalização; Multidisciplinariedade; Diversidade formativa; Trabalho prático

 

Apresentação

O curso de mestrado em arqueologia é parte integrante da formação básica nesta área profissional, segundo a legislação em vigor. Habilita para a direção de trabalhos arqueológicos, tanto no domínio da arqueologia preventiva e de salvamento, como no desenvolvimento de projetos de investigação e valorização arqueológica. Permite, assim, uma saída para vários tipos de mercado de trabalho, na administração pública central, regional e local, nos centros de investigação, nas empresas, em cooperativas ou associações.

O curso permite adquirir formação aprofundada nas grandes áreas de especialização temática da arqueologia, abrangendo todos os períodos cronológicos do passado humano, bem como o desenvolvimento de metodologias transversais desta disciplina. Procurando capacitar para a generalidade das situações decorrentes do trabalho em arqueologia, desenvolvem-se áreas singulares no contexto do ensino superior em Portugal e na Europa.

O curso inclui formação teórica e prática nos seus vários níveis. Está intimamente ligado ao trabalho de unidades de investigação bem classificadas pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Permite, pois, o contacto com docentes, conferencistas convidados, investigadores e profissionais a trabalhar na NOVA FCSH, nacionais e estrangeiros. Apoia-se em projetos arqueológicos desenvolvidos em várias regiões de Portugal, mas também em missões arqueológicas internacionais. Assenta numa rede de protocolos com instituições estatais, regiões autónomas, autarquias locais, empresas, centros de investigação e associações, garantindo assim uma estreita ligação entre a universidade e o tecido profissional.

 

Coordenação

André Teixeira

 

Plano de Estudos

O primeiro ano do curso é letivo, devendo o aluno realizar seis seminários, cinco dos quais obrigatoriamente na área científica de arqueologia, de acordo com os seus interesses e orientações profissionais. No primeiro semestre, o aluno fará o seminário obrigatório de «Proteção e Gestão do Património Arqueológico», escolhendo mais dois seminários. No segundo semestre fará o seminário obrigatório de «Metodologias e Práticas em Arqueologia» (que inclui trabalho de campo e gabinete), escolhendo mais dois seminários.

O segundo ano do curso não é letivo, sendo o regime de ensino tutorial. O aluno escolherá o tipo de trabalho a desenvolver, mais prático ou mais teórico, através das três modalidades oferecidas: estágio com relatório, trabalho de projeto ou dissertação. No primeiro semestre, terá orientação através de um seminário de acompanhamento. No segundo semestre desenvolverá a redação do seu trabalho de componente não-letiva, que uma vez entregue será sujeito a discussão pública.

O curso oferece simultaneamente uma série de atividades extra-letivas, parte delas passíveis de creditação, incluindo conferências, aulas abertas, seminários e visitas de estudo, bem como a possibilidade de integração em projetos das unidades de investigação.

 

Oferta curricular

Duração: 2 anos/4 semestres

Conheça o programa curricular detalhado.

 

Regulamento

 

Corpo Docente

André Teixeira

Catarina Tente

Francisco Caramelo

José Bettencourt

José Carlos Quaresma

Leonor Medeiros

Maria Helena Trindade Lopes

Mário Varela Gomes

Rodrigo Banha da Silva

Rosa Varela Gomes

Colaborações:

Em todas as edições do curso há aulas abertas dadas por conferencistas convidados.

 

Candidaturas | Número de vagas | Propinas

Para saber mais sobre estes tópicos consulte a página Editais de Candidatura.

 

Centros de Investigação

IEM – Instituto de Estudos Medievais

CHAM – Centro de Humanidades

IHC – Instituto de História Contemporânea

 

Projetos de investigação

Apresentam-se alguns dos projetos de investigação desenvolvidos:

 

Contactos

Núcleo de Mestrados

E-mail: mestrados@fcsh.unl.pt

 

Ligações Úteis

Topo da Página