Acções do Documento

Apresentação

ha.jpg

 

Ao longo dos últimos 40 anos, o Departamento de História da Arte da NOVA FCSH tem formado centenas de alunos a nível de vários ciclos de estudo e foi pioneiro, em Portugal, pelo desenvolvimento desta disciplina, associando-lhe mais recentemente outros campos do saber, como a Museologia e as Ciências do Património.

Integrando-se na renovação, à escala europeia, do designado Processo de Bolonha, o Departamento de História da Arte oferece os três ciclos de estudos universitários preconizados pelo referido Processo: uma licenciatura, de seis semestres; um mestrado, de quatro semestres; e um doutoramento, de oito semestres.

Os cursos ministrados no Departamento de História da Arte têm por vocação o desenvolvimento de estudos aprofundados em torno dos objetos artísticos e do discurso que sobre eles tem vindo a construir-se, desde a fundação desta área científica. Abrangendo as várias épocas históricas, da Antiguidade à Época Contemporânea, e tanto a arte portuguesa como a internacional, as unidades curriculares que estruturam os vários ciclos de estudos englobam ainda matérias de ordem teórica como a Teoria e Metodologia da História da Arte ou a Estética e Teorias da Arte, e temas verdadeiramente transversais, do ponto de vista cronológico, como a Iconografia, a Museologia e as Ciências do Património. Pretende-se, assim, proporcionar uma formação abrangente, de capacitação de um discurso crítico e solidamente apoiada num conhecimento da própria identidade da disciplina, e de primeiro contacto com futuras possibilidades de trabalho.

A preocupação em facultar aos estudantes, a par dos conhecimentos teóricos, a experiência e o contacto com o mundo profissional, levaram o departamento de História da Arte a assinar protocolos de colaboração para a realização de estágios profissionalizantes com um conjunto de instituições, nomeadamente com a DGPC (Direção Geral do Património Cultural), que atualmente integra extintos institutos como o IGESPAR e o IMC, com as Câmaras Municipais de Sintra, Lisboa, Porto; fora da esfera dos organismos estatais, o DHA celebrou também protocolos com a Culturgest, o Centro Cultural de Belém, o Patriarcado de Lisboa, a Fundação Calouste Gulbenkian, a Fundação Medeiros e Almeida, a Cabral Moncada Leilões, a Argo-Arte, Património e Cultura.

Da mesma forma, o Programa Erasmus, a que o departamento desde muito cedo se associou, tem facultado a troca de experiências de grande valia entre estudantes, professores e investigadores de diferentes universidades europeias.

Topo da Página