Acções do Documento

'90 Segundos de Ciência' vence Prémio Acesso Cultura

O programa de rádio é produzido em conjunto pela NOVA FCSH, ITQB NOVA e Antena 1, com o apoio da empresa Novartis.

O 90 Segundos de Ciência venceu, esta quinta-feira (20), o Prémio Acesso Cultura na categoria Acessibilidade Intelectual. Este galardão tem como objetivo distinguir e promover entidades e projetos que se destaquem pelo desenvolvimento de políticas exemplares e boas práticas na promoção do acesso à cultura em Portugal.

O júri do prémio realçou o contributo do programa para a compreensão da Ciência, que consideram "essencial para entender e ler o mundo, para ir mais longe", mas que continua, nos dias de hoje, "a ser de acesso difícil". Os especialistas que atribuíram a distinção ao 90 Segundos de Ciência sublinham que este formato "permite a descodificação dos conteúdos e o acesso à informação", enfatizando ainda o facto de o fazer "de forma amplificada, não restrita um único equipamento cultural ou a um território definido, mas com transmissão a nível nacional e disponível na internet".

"Este é um projeto que não só quebra barreiras na proximidade à cultura científica, como estimula a curiosidade e a descoberta, objetivos centrais na Acessibilidade Intelectual", continuam os jurados, que atribuíram de forma unânime a distinção ao programa realizado em conjunto pela NOVA FCSH, ITQB NOVA e Antena 1.

A caminho dos 500 programas

Desde o dia 21 de novembro de 2016 já foram transmitidas 412 edições do 90 Segundos de Ciência. Tem sido dada voz aos cientistas que trabalham em Portugal e no estrangeiro em todas as áreas científicas. Passaram pela emissão da Antena 1 investigadores em áreas tão diversas como Comunicação, História, Biomedicina, Engenharia, Tecnologia, Arqueologia, Educação, Desporto, Geografia, Química, entre outras.

António Granado, subdiretor adjunto da NOVA FCSH para a área da Comunicação e um dos coordenadores do programa, agradece "às centenas de investigadores que têm apoiado o projeto e partilhado o seu trabalho", sublinhando estar "orgulhoso e feliz com o prémio". Este responsável agradece ainda "a todos os que têm trabalhado, na NOVA FCSH e no ITQB, para tornar isto possível".

O contributo dos vários gabinetes de Comunicação de Ciência das universidades portuguesas é destacado por Joana Lobo Antunes, outra das coordenadoras do projeto, sublinhando que só isso permitiu "encontrar projetos novos e interessantes".

2018-06-21 13:40
Topo da Página
classificado em: