Acções do Documento

Cabo Verde acolhe projeto CONCHA

Investigadores da Faculdade desenvolvem no arquipélago ações de formação e capacitação, prospeções subaquáticas e finalizam planta do naufrágio de São Francisco.

Cabo Verde acolhe, até 11 de fevereiro, a 3ª missão do projeto de arqueologia CONCHA, com ações previstas para as ilha de Santiago e São Vicente. Para o efeito estão no país Museólogos e Historiadores, Arqueólogos da NOVA FCSH e do CHAM.

A equipa do projeto CONCHA reuniu-se com o corpo técnico do Instituto do Património Cultural para delinear as prioridades desta 3ª missão e os eixos prioritários para Cabo Verde. Segundo Hamilton Jair Fernandes, Presidente do IPC, estas passam pela elaboração da Carta Arqueológica da Cidade Velha, como um instrumento essencial para a gestão do território, os museus de Arqueologia e do Mar, e disseminação de conhecimento por via de colóquios.

Prevê-se ainda a assinatura de um Convênio IPC-CHAM, visitas ao Museu do Mar, e Escola do Mar em São Vicente, Visita ao INDP e ao Centro Oceanográfico de Mindelo.

Recorde-se que Cabo Verde acolheu a primeira missão do projeto em abril de 2018 com o mergulho de prospeção arqueológica subaquática no Ancoradouro da Cidade Velha - Património Mundial, Urania e São Francisco.

O projeto CONCHA explica as diferentes formas pelas quais as cidades portuárias se desenvolveram em torno da borda do Atlântico no final do séc. XV e início do séc. XVI em relação aos diferentes ambientes ecológicos e económicos globais, regionais e locais.

Cabo Verde integra o projeto CONCHA juntamente com a Universidade Pablo de Olavide, Old Dominion University, OMA - Observatório do Mar dos Açores, Trinity College Dublin Global, Associação para as Ciências do Mar, Universidade do Norte; Mar, Ambiente e Pesca Artesanal, Universidade Federal de Sergipe e Eveha International.

 

2019-01-29 12:55
Topo da Página
classificado em: