Acções do Documento

Mário Soares e Pinto Balsemão recordaram a “felicidade do dia 25 de Abril”

O antigo Presidente da República e o ex-Primeiro Ministro participaram como oradores da conferência “Democracia”, dedicada aos 40 anos da Revolução de Abril.

“O 25 de Abril foi o dia mais feliz da minha vida e eu fui feliz toda a minha vida”, afirmou Mário Soares na conferência que teve lugar dia 22 de Abril, na FCSH/NOVA, em conjunto com Francisco Pinto Balsemão, que também recordou a data como “um dia de grande felicidade”.

Mário Soares destacou ter sido “uma revolução pacífica feita pelos militares”, que “não quiseram o poder, libertaram imediatamente os presos políticos e chamaram os exilados. Estes homens têm de ser respeitados por isso!”. O estadista recordou os dias seguintes à Revolução e o seu regresso a Portugal, considerando que o mais importante no processo de democratização foi “a descolonização, a autodeterminação dos territórios e a construção do Estado Social”. Destacou ainda o impacto internacional do 25 de Abril, sublinhando ter sido “muito bom para a Grécia e a Espanha” que, em 1974, ainda eram governados por ditadores.

Francisco Pinto Balsemão considerou que “Mário Soares foi um líder” no processo revolucionário e que “o seu papel ficará para sempre na História”. O fundador do PPD-PSD salientou igualmente a descolonização, a integração dos ‘retornados’ e a convergência política com a Europa: “a entrada na Europa abrigou a acreditar algo que substituísse o ciclo do Império e criasse uma Democracia plena”, para o que contribuiu a revisão constitucional de 1982, momento em que esteve de acordo com o líder Socialista. Em relação ao presente, manifestou apreensão “pelos novos poderes não controláveis pelo sistema democrático”, de que são exemplos “as agências de rating ou os mercados”, observando que “um país pode ser arruinado por estes organismos”.

Ao longo de 2014, o ciclo “Revolução e Democracia: 40 anos do 25 de Abril” traz FCSH/NOVA o debate sobre as mudanças da sociedade portuguesa desde 1974. Nas conferências mensais participam ou participaram oradores como Zita Seabra, Augusto Santos Silva, Diana Andringa, Manuel Alegre ou Helena Roseta, entre outros.

A FCSH/NOVA assinala os 40 Anos sobre o 25 de Abril com diversas iniciativas, incluindo exposições, debates, ciclos de cinema ou pinturas murais, de que é exemplo visível a recente pintura no muro da Faculdade, na Av. de Berna pela plataforma artística Underdogs.


Veja as fotos

Leia as notícias sobre o evento escritas pelos alunos de Produção Jornalística, da licenciatura em Ciências da Comunicação, leccionada pela docente Marisa Torres da Silva.

 

Plano das conferências temáticas mensais
FCSH/NOVA, Auditório 1, Torre B | 18h00 – 19h30

 

Tópico

Conferencistas

Dia, Mês

1

Educação e Universidade

António Rendas e Alberto Amaral

22 Janeiro

2

Protecção Social e Desigualdade

Eugénio Fonseca e José Vieira da Silva

25 Fevereiro

3

Ideologia, Partidos e Militância

Zita Seabra e Augusto Santos Silva

26 Março

4

Democracia

Mário Soares e Francisco P. Balsemão

22 Abril

5

Trabalho, Economia e Globalização

João Ferreira do Amaral e Carvalho da Silva

27 Maio

6

Arte e Cultura

António Pedro Vasconcelos e Manuel Alegre

24 Junho

7

Participação e Movimentos Cívicos

Helena Roseta e José Manuel Tengarrinha

3 Julho

8

Portugal no Mundo

Seixas da Costa (e orador a anunciar)

23 Setembro

9

Jornalismo, Liberdade de Expressão e Comunicação

 

Mário Mesquita e Diana Andringa

28 Outubro

10

Território e Poder Local

Nuno Portas e João Ferrão

25 Novembro

11

Religião, Tolerância e Pluralismo

Sheikh Munir e D. Manuel Clemente

19 Dezembro


Media Partner: SIC Notícias

copy2_of_logo_RDemcracia_siteFCSH.png

2014-04-23 14:55
Topo da Página