Acções do Documento

Gonçalo M. Tavares explora “a imaginação nas artes, no cinema e na literatura”

Masterclass de antigo aluno é aberta ao público e acontece esta terça-feira, 8 de maio, no auditório 1 da NOVA FCSH, às 18h.

O escritor vai dedicar a sua aula a opor “a imagem na literatura e a imagem na fotografia”, sublinhando “a diferença entre ver e ler”, recorrendo a “alguns vídeos de artistas contemporâneos, metáforas e utopias”.

Gonçalo M. Tavares está de regresso à instituição onde foi aluno do mestrado de Ciências de Comunicação e onde é investigador do Instituto de Estudos Literatura e Tradição, depois de ter feito fora o doutoramento em Corporeidade, Linguagem e Imaginação.

É conhecido principalmente pela sua vasta obra literária, tanto em Portugal como no estrangeiro. Os seus livros ascendem já a 430 traduções em 36 línguas distintas, com edição em 52 países. Deram já origem tanto a peças de teatro como peças radiofónicas, curtas metragens e objetos de artes plásticas, vídeos de arte, ópera, performances, projetos de arquitetura ou teses académicas.

É longa a lista de prémios que lhe foram atribuídos, mas merecem uma ênfase particular as palavras que lhe dirigiu o Prémio Nobel, quando em 2005 venceu precisamente o galardão com o seu nome, o Prémio José Saramago: “‘Jerusalém’ é um grande livro, que pertence à grande literatura ocidental. Gonçalo M. Tavares não tem o direito de escrever tão bem apenas aos 35 anos: dá vontade de lhe bater!

Em Portugal, onde foi distinguido com Ordem do Infante D. Henrique, recebeu, entre outros, o Prémio LER/Millennium BCP 2004, com o romance “Jerusalém” (Caminho); o Grande Prémio de Conto da Associação Portuguesa de Escritores Camilo Castelo Branco, com “água, cão, cavalo, cabeça”, 2007 (Caminho); o Prémio Branquinho da Fonseca/Fundação Calouste Gulbenkain, com “O Senhor Valéry”; ou o Prémio Revelação da Associação Portuguesa de Escritores, com “Investigações. Novalis”.

No estrangeiro, destacam-se o Prémio Portugal Telecom 2007, no Brasil, o Prémio Internacional Trieste 2008, em Itália, e o Prémio Belgrado Poesia 2009, na Sérvia.

2018-05-07 16:35
Topo da Página