Acções do Documento

José Guimarães cruza arte e viagens na Gulbenkian

Um dos mais galardoados artistas plásticos contemporâneos vai estar na Gulbenkian, no dia 12 de abril, para falar da sua obra. O evento constitui uma iniciativa do CHAM.

“Cruzamentos da Arte e da Viagem (Pós-) Colonial na obra de José Guimarães” é o tema de uma conferência que irá refletir e debater a forma como a vivência do artista durante as suas viagens influenciou o sentido da sua arte. O evento, que terá lugar no dia 12 de abril a partir das 9h30 no Auditório 3 da Fundação Calouste Gulbenkian, terá presentes na sessão de abertura Francisco Caramelo, Diretor da NOVA FCSH, e Eduardo Lourenço, docente e filosofo. José Guimarães também intervém mais tarde no evento através de uma conversa com o público e outros intervenientes.

Nascido em 1939, José de Guimarães é considerado um dos principais artistas plásticos portugueses de arte contemporânea, exibindo uma vasta e notável obra na pintura, escultura e outras atividades criativas. Muitas das suas obras estão expostas em diversos museus europeus, bem como nos Estados Unidos, Brasil, Canadá, Israel e até no Japão.

Organizado pelo Centro de Humanidades (CHAM), o evento está inserido no projeto ArTravel, uma plataforma digital de acesso livre que tem como objetivo principal disponibilizar informações e artigos originais de autores nacionais e estrangeiros na área da arte e da viagem. A plataforma insere-se no domínio da história da arte contemporânea, mas a sua razão fundamenta-se numa História que se desenvolve em paralelo com outros domínios do saber e que vão desde a cultura visual à ciência política e à história das mentalidades, passando pelas artes plásticas, estudos artísticos e pós-coloniais. Direciona-se a estudantes, docentes, investigadores e profissionais que partilham interesses e preocupações nestas grandes áreas.

Consulte o programa

2018-03-23 16:30
Topo da Página
classificado em: ,