Acções do Documento

Na quinta masterclass, a ária é de Gabriela Canavilhas

Não é a política que traz a deputada do PS à NOVA FCSH, mas a emancipação feminina na ópera. Para ver e também ouvir no Auditório 2, nesta terça-feira, 3 de abril, às 18h.

A música continua a ter um papel muito relevante na sua vida – é com ela que combate a “aridez do dia a dia” do Parlamento, como afirmou ao Diário de Notícias em outubro de 2017. Gabriela Canavilhas, vereadora da Câmara de Cascais e deputada do PS, vê na arte o que é “verdadeiramente importante”, pela capacidade de os artistas tocarem e transformarem o mundo – é um sentimento recíproco porque a arte parece também não querer fugir desta pianista.

Gabriela Canavilhas regressa à NOVA FCSH, onde se licenciou em Ciências Musicais, para uma masterclass intitulada “Percursos Femininos na Música – do sexo frágil à transgressão e emancipação feminina na Ópera”. Vai estar também ao piano, daí o encontro estar marcado para o auditório 2 (e não o 1, como tem sido habitual na iniciativa 40 anos. 40 masterclasses), às 18h, nesta terça.

O percurso como pianista foi intenso até 2004: gravou sete álbuns, atuou na Europa e nos Estados Unidos. Por essa altura, a sua atividade política começou a destacar-se, sempre em ligação ao PS, mas o cargo que lhe deu maior visibilidade foi o de ministra da Cultura do Governo de José Sócrates. A par disso, desempenhou diversos cargos públicos: presidiu a Orquestra Metropolitana de Lisboa, foi diretora regional da Cultura do Governo Regional dos Açores e fundou o Festival MusicAtlântico dos Açores, que decorreu entre 1999 e 2009. É professora do quadro da Escola de Música do Conservatório Nacional, onde, aliás, se formou em Piano, desde 1986.

2018-04-02 23:35
Topo da Página