Acções do Documento

Observatório da Canção de Protesto

Centros de investigação da FCSH/NOVA aliam-se ao Município de Grândola para observar, sistematizar e divulgar informação associada à música de intervenção e protesto.

A FCSH/NOVA, através do Instituto de História Contemporânea (IHC) e do Instituto de Etnomusicologia (INET-md), juntam-se ao Município de Grândola, Associação José Afonso e à Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense para criar o Observatório da Canção de Protesto (OCP). Com sede em Grândola, a iniciativa pretende observar, sistematizar e divulgar informação associada à música de intervenção, valorizando a herança cultural de todos os que, através da música, se empenharam e empenham na defesa dos valores da liberdade, da fraternidade e da igualdade.

As quatro instituições parceiras vão assinar o acordo de constituição do OCP no dia 2 de março, pelas 15 horas, na Câmara Municipal de Grândola, numa cerimónia aberto ao público. O acordo promove a implementação de uma estratégia de partilha integrada de recursos materiais, documentais e de conhecimento, com o objectivo de desenvolver a salvaguarda do património da música e da canção de protesto produzido e divulgado ao longo dos sécs. XX e XXI. Prevê prioritariamente a promoção da sistematização e divulgação dos núcleos patrimoniais existentes, bem como a sua revalorização documental e arquivística, em termos culturais e musicais, incluindo a realização de iniciativas diversas — encontros, colóquios, congressos, publicações, exposições e espetáculos.

Grândola, vila morena, de José Afonso, símbolo da Revolução do 25 de Abril e dos seus valores, é uma referência mundial no conjunto das canções de protesto a que o OCP prestará tributo, enaltecendo os valores da resistência à ditadura e os combates pela liberdade e pela democracia.

2015-02-25 12:30
Topo da Página
classificado em: ,