Acções do Documento

Otimismo trágico do Terramoto de Lisboa ao Tratado de Lisboa na masterclass de Rui Tavares

Rui Tavares, antigo aluno da NOVA FCSH, dá a próxima masterclass da série '40 Anos, 40 Masterclasses'.

A analogia com Cândido, retratado por Voltaire em meados do séc. XVIII, será o pilar central da masterclass que Rui Tavares dá esta terça-feira (24) na NOVA FCSH. A aula aberta, que decorrerá no auditório 1, às 18h00, intitula-se O Mundo de Cândido: otimismo trágico do Terramoto de Lisboa ao Tratado de Lisboa.

"Cândido é a história de uma emancipação às avessas, porque foi expulso do castelo Thunder-ten-tronckh e viaja pelo mundo. E esta analogia é a grande história da modernidade. Logo nessa altura, Cândido é confrontado com o Terramoto de Lisboa. E aqui acontece uma primeira ruptura no contrato que havia entre os súbditos, o Rei e Deus", explica o antigo aluno da Faculdade.

Tomando esta história como base, Rui Tavares refere que é a partir daqui que se firma o contrato entre Povo, Estado e Nação, que mais tarde evoluiria para um contrato entre cidadãos e República.

"Hoje, o contrato entre Povo, Estado e Nação não é suficiente. Cândido, e também Kant, já prefiguravam a força da integração global, que vem pôr em causa este contrato e nos leva a pensar na sua revisão", naquele que será um paralelismo entre as situações do séc. XVIII e a atualidade.

O antigo eurodeputado e fundador do partido LIVRE define esta como "uma história de emancipação, modernidade e soberania", classificando o "otimismo trágico" que refere no título do masterclass como "a capacidade humana de retirar sempre um sentido das coisas, mesmo as mais trágicas".

2018-04-24 13:10
Topo da Página
classificado em: ,