Acções do Documento

Ribāt da Arrifana classificado como monumento nacional

O monumento foi identificado em 2001 por Rosa Varela Gomes e Mário Varela Gomes, arqueólogos do Instituto de Arqueologia e Paleociências.

O ribāt da Arrifana, em Aljezur, foi classificado a 25 de Julho como Monumento Nacional pelo decreto nº 25/2013, sendo o primeiro daquele concelho com tal categoria e um dos poucos que fazem parte do legado islâmico do actual território nacional.

Identificado em 2001 por Rosa Varela Gomes e Mário Varela Gomes, docentes do Departamento de História da FCSH e arqueólogos do Instituto de Arqueologia e Paleociências (IAP) das Universidade NOVA de Lisboa e do Algarve, o ribāt tem sido palco de numerosas escavações realizadas ao longo de mais de uma década, com a ajuda a de centenas de alunos da FCSH.

Tais trabalhos conduziram à descoberta de restos de numerosas estruturas, nomeadamente de pequenas mesquitas, minarete, diversas instalações e de necrópole, com várias dezenas de sepulturas, onde se encontravam duas estelas epigrafadas in situ, assim como de muito diversificado espólio.

Fundado na primeira metade do século XII pelo mestre sufi Ibn Qasī, o ribāt, que foi capital de efémero estado teocrático, haveria de ser abandonado aquando da morte daquele líder político e religioso, em 1151, quando o mesmo estabeleceu aliança com o primeiro rei português.

Veja o decreto nº 25/2013

2013-08-02 11:10
Topo da Página
classificado em: