Projeto TrainMos - Promovendo as autoestradas do mar no espaço europeu

O projeto europeu das autoestradas do mar contempla quatro grandes corredores: Mar Báltico (que assegura a ligação dos Estados-membros do Mar Báltico aos da Europa Central e Ocidental); Europa Ocidental (que assegura a ligação de Portugal e Espanha, através do arco atlântico, ao Mar do Norte e Mar da Irlanda); Sudeste da Europa (que liga o Mar Adriático ao Mar Jónico e ao Mediterrâneo oriental, incluindo o Chipre); Sudoeste da Europa/Mediterrâneo Oriental (que liga Espanha, França e Itália, incluindo ainda Malta)

A Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa (FCSH/NOVA) integra um consórcio internacional que viu aprovado, em 2014, pela Comissão Europeia uma candidatura no âmbito da Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T) – o Projeto TrainMoS II.

João Figueira de Sousa, docente do Departamento de Geografia e Planeamento Regional da FCSH/NOVA  esclarece que “o projeto TrainMoS II visa contribuir de forma efetiva para o desenvolvimento e extensão do sistema de transportes multimodal da União Europeia, com particular enfoque no projeto das autoestradas do mar, através da qualificação do fator humano”. Note-se que a política comunitária existente no âmbito das autoestradas do mar (MoS – Motorways of the Sea) visa promover a transferência em escala significativa de mercadorias transportadas atualmente por rodovia para transporte marítimo de curta distância (TMCD), com benefícios ao nível da eficiência energética do processo de transporte, redução das emissões poluentes e minimização dos problemas de congestionamento nos grandes corredores terrestres.

O projeto europeu das autoestradas do mar contempla quatro grandes corredores: Mar Báltico (que assegura a ligação dos Estados-membros do Mar Báltico aos da Europa Central e Ocidental); Europa Ocidental (que assegura a ligação de Portugal e Espanha, através do arco atlântico, ao Mar do Norte e Mar da Irlanda); Sudeste da Europa (que liga o Mar Adriático ao Mar Jónico e ao Mediterrâneo oriental, incluindo o Chipre); Sudoeste da Europa/Mediterrâneo Oriental (que liga Espanha, França e Itália, incluindo ainda Malta).

 

Neste sentido, o projeto tem por principal objetivo a criação de um programa de formação certificada na área dos transportes marítimos, baseado em módulos destinados a profissionais do setor e a licenciados. O projeto inclui um Mestrado Europeu, um Curso de Pós-Graduação e Cursos de Formação Profissional Contínua, que ficarão disponíveis online. Segundo João Figueira de Sousa, pretende-se promover e sustentar o desenvolvimento profissional contínuo não só de licenciados, mas também de profissionais de diferentes setores ligados à cadeia multimodal de transportes e disponibilizar os conteúdos no portal onthemosway.eu, promovendo a informação e capacitação dos stakeholders.

 

Os módulos de formação superior irão cobrir diversas áreas, entre as quais: sustentabilidade marítima e autoestradas do mar; planeamento portuário, gestão de infraestruturas e cadeias de abastecimento de LNG (Liquidified Natural Gas); operação de infraestruturas portuárias; métodos de aferição de riscos associados às novas tecnologias energéticas; análise de investimentos na área do LNG; combustíveis alternativos no espaço comum de transportes.

Em Portugal, a FCSH/NOVA e a Magellan – Associação para a Representação de Interesses Portugueses no Exterior são as entidades parceiras responsáveis pelo desenvolvimento dos seguintes módulos:

  • Planeamento portuário, gestão de infraestruturas e cadeias de abastecimento de LNG (formação superior - módulo integrado no curso de mestrado e de pós-graduação; entidade responsável – FCSH/NOVA);
  • Gestão da Sustentabilidade do Transporte Marítimo (formação contínua; entidade responsável – Magellan);
  • Gestão da Cadeia Logística e Janela Única (formação contínua; entidade responsável – Magellan);
  • Gestão e Desenvolvimento da Intermodalidade e do Transporte marítimo (formação contínua; entidade responsável – Magellan).

O orçamento global do projeto é de 2.818.480,00€, dos quais cerca de 1,4 milhões de euros são financiados no âmbito da TEN-T (Trans-European Transport Networks) da União Europeia. Estão envolvidos cinco países (Portugal, Espanha, Reino Unido, Itália e Grécia) e onze parceiros europeus, dos quais seis universidades e cinco entidades, públicas e privadas.

A sua implementação será monitorizada pela INEA, agência executiva da Comissão Europeia para a Inovação e Redes. O projeto termina em dezembro de 2015.

Parceiros

PAÍSES

ENTIDADES PARCEIRAS

ESPANHA

Universidad Politécnica de Madrid

Centre Internacional de Metodes Numerics
en Enginyeria

GRÉCIA

National Technical University of Athens

University of Piraeus

Ocean Finance

ITÁLIA

Università degli Studi di Genova

Regione Liguria

Circle Srl.

PORTUGAL

FCSH/NOVA - Faculdade de Ciência Sociais
e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa

Magellan – Associação para a Representação
de Interesses Portugueses no Exterior

REINO UNIDO

University of Strathclyde / Glasgow

Fonte: Adaptado de www.onthemosway.eu

Projeto TrainMos - Promovendo as autoestradas do mar no espaço europeu

João Figueira de Sousa, docente do Departamento de Geografia e Planeamento Regional da FCSH/NOVA, diz que “o projeto TrainMoS II visa contribuir de forma efetiva para o desenvolvimento e extensão do sistema de transportes multimodal da União Europeia, com particular enfoque no projeto das autoestradas do mar, através da qualificação do fator humano”

Reportagens mais visualizadas
  1. > O celtismo e as suas repercussões na música na Galiza e no Norte de Portugal
  2. > Sociedade Civil e Democracia: Portugal numa Perspectiva Comparada
  3. > As relações familiares dos imigrantes em disputa
Apresentação do projeto TrainMos
Ligações relacionadas